Arquivo do mês: fevereiro 2012

Bloco Feminista “Adeus, Amélia” vai para as ruas de São Paulo mais uma vez!

Pra quem quer curtir um carnaval sem machismo, sem sexismo e militante, o bloco feminista ‘Adeus Amélia’ vai para as ruas de São Paulo mais uma vez!  Este ano, sairá nas vésperas do carnaval, no dia 17 de fevereiro. A concentração

Bloco Feminista “Adeus, Amélia” vai para as ruas de São Paulo mais uma vez!

Pra quem quer curtir um carnaval sem machismo, sem sexismo e militante, o bloco feminista ‘Adeus Amélia’ vai para as ruas de São Paulo mais uma vez!  Este ano, sairá nas vésperas do carnaval, no dia 17 de fevereiro. A concentração

Basta! Machismo é violência: campanha contra o machismo e a violência sexista

Este ano, uma de nossas primeiras ações será a campanha “Basta! Machismo é violência”. Pretendemos, com ela, lutar contra a violência às mulheres, bem como qualquer ato de machismo – que pode também ser considerado como violência. Iremos atuar principalmente

Basta! Machismo é violência: campanha contra o machismo e a violência sexista

Este ano, uma de nossas primeiras ações será a campanha “Basta! Machismo é violência”. Pretendemos, com ela, lutar contra a violência às mulheres, bem como qualquer ato de machismo – que pode também ser considerado como violência. Iremos atuar principalmente

No meio desta mobilização, vemos o quanto exigir fora PM, fora Rodas, mais democracia na universidade, não punição dos presos politicos e uma politica de segurança alternativa à da reitoria, não são pautas apenas do movimento estudantil,  mas também do

No meio desta mobilização, vemos o quanto exigir fora PM, fora Rodas, mais democracia na universidade, não punição dos presos politicos e uma politica de segurança alternativa à da reitoria, não são pautas apenas do movimento estudantil,  mas também do

O I Encontro de Mulheres Estudantes da USP e a Frente Feminista

Por percebermos o machismo como algo extremamente presente dentro de nossa Universidade, e também pela necessidade das estudantes atuarem pelas demandas gerais das mulheres, não só as que dizem respeito às universitárias, vimos que era preciso dar organicidade ao movimento

O I Encontro de Mulheres Estudantes da USP e a Frente Feminista

Por percebermos o machismo como algo extremamente presente dentro de nossa Universidade, e também pela necessidade das estudantes atuarem pelas demandas gerais das mulheres, não só as que dizem respeito às universitárias, vimos que era preciso dar organicidade ao movimento